FANDOM


Zod de capa
"A fundação deve ser construída sob alguma coisa."

Este artigo é um esboço.
Você pode ajudar a Wiki DC Comics Extended Universe expandindo-o.
"Nós somos vilões, é o que a gente faz!"
―Arlequina[fonte]

A Doutora Harleen Frances Quinzel é uma ex-psiquiatra do Asilo Arkham e uma conhecida associada do Coringa, operando sob o pseudônimo de Arlequina. Depois de ajudar na fuga do Coringa em Arkham, Harleen foi submersa em um silo de produtos químicos na Químicas ACE, ressurgindo como a mão direita do Palhaço do Crime. Ao longo dos anos, Arlequina se tornou uma inimiga do Batman, crescendo ao ponto de ser tornar a rainha de Gotham City ao lado do Coringa, notavelmente ajudando no assassinato de Robin.[2]

Quinn foi mais tarde aprisionada em Belle Reve após ser pega por Batman e recrutada para a Força-Tarefa X, uma equipe de operações secretas liderada por Amanda Waller, onde foi forçada a trabalhar com outros criminosos perigosos para completar missões para o governo em troca de pena reduzida. Em sua primeira missão, ela e a equipe derrubaram Magia em Midway City, ganhando dez anos de suas múltiplas sentenças de prisão perpétua, mas depois foi resgatada pelo Coringa durante uma invasão na prisão.[2]

BiografiaEditar

Início da vidaEditar

Harleen Frances Quinzel nasceu em 20 de julho de 1990. Ela graduou em um bom colégio e fez faculdade de psicologia. Eventualmente, ganhou um lugar no Asilo Arkham para tratar de mentes insanas e psicologicamente afetadas, sendo mais tarde, designada para o Coringa.[2]

Se apaixonandoEditar

"Foi designada para o Palhaço em pessoa. Ela pensou que estava curando ele, mas estava se apaixonando. Um romance no local de trabalho que deu muito errado."
Amanda Waller[fonte]
O Coringa em terapia

Harleen e Coringa no Arkham.

Harleen foi cada vez mais se aprofundando na psique do Coringa, onde ele revelou várias memórias enterradas para ela que, aparentemente, "bagunçou tudo". Mas a psiquiatra ainda se apaixonou pelo Palhaço, trazendo vários presentinhos para ele, primeiro foi um gato de pelúcia, até chegar a uma metralhadora.[2]

O Coringa poupa Arlequina

O Coringa poupa Harleen.

Harleen: "Eu estava tentando fazer a coisa certa."
Coringa: "Fazer a coisa certa, huh? Você deixou em mim um buraco negro de raiva e confusão. É está a medicina que você pratica, Dra. Quinzel? É está a ‘coisa certa’ que você faz com todos os pacientes?
Agora, vou jogá-la no mesmo buraco negro."

―O Coringa antes de torturar Harleen[fonte]

Durante uma noite de trabalho, a gangue do Coringa invadiu o Asilo matando vários guardas. O Coringa pediu a Jonny Frost a Dra. Harleen em pessoa, a quem ele culpou por todas as dificuldades que passou no Arkham, deixando implícito que talvez ela tivesse usado terapia de choque nele. Enquanto a Dra. tentava explicar que fez tudo para seu bem, o Príncipe Palhaço do Crime não quis ouvir, amarrando-a em uma cama e usando uma terapia de choque intensificada nela, mexendo totalmente com seu psicológico, ao ponto de fazê-la querer mais. O Coringa eventualmente pediu para Frost poupá-la, o que fez mais dano ainda em Harleen, se apaixonando loucamente ao Palhaço.[2][3]

Perseguindo o CoringaEditar

Harleen: "Fiz tudo que você mandou! Todo teste, experiência, iniciação. Provei que te amo, aceite isso."
Coringa: "Tá, tá, tá. Eu não sou alguém amável. Sou uma ideia! Um estado de espirito. Eu executo minha vontade, de acordo com o meu plano, e você Doutora, não faz parte do plano."
―Harleen tenta convencer o Coringa[fonte]
Casamento na ACE

O casamento na Químicas ACE.

Eventualmente, Harleen seguiu o Coringamóvel com uma moto, parando em sua frente para que pudessem conversar. Ela tentou convencê-lo de que o amava, e o Coringa continuou a rejeitando, até o ponto que decidiu por um fim nela. Ele acabou a acompanhando na Químicas ACE, o lugar onde "ele nasceu" (após um banho nos produtos químicos de um dos toneis). O Palhaço convenceu Harleen a tomar o mesmo "banho", acreditando que seria a morte perfeita para ela, no entanto, ao ir embora, ele parece ter "sentido algo", e pulou de volta ao tonel para resgatá-la, nascendo assim a Arlequina.[2][3]

Assassinato do RobinEditar

Eventualmente, o casal atacou o coração de Batman ao matar seu parceiro, Robin. Arlequina foi cúmplice do assassinato, tendo ajudado o Palhaço a "quebrar" o Menino Prodígio e pintar um "HA-HA-HA A Piada É Você Batman" em seu traje.[4][2]

Capturada pelo BatmanEditar

Coringa: "Hey. Sim! Aqui está ela, a infame Arlequina. Gostou dela, amigo?"
Monster T: "Não. Sem chance. É a sua garota, Coringa." [...]
Coringa: "Está dizendo que não gosta dela? Talvez que a odeie? O que você tem contra ela, T?"
―Harleen tenta convencer o Coringa[fonte]
Monster T conhece o Coringa

Monster T é manipulado pelo Coringa.

Um tempo após o Evento Black Zero, Arlequina cuidou de dançar em uma boate que o Coringa usava para lavar dinheiro. Todos lá sabiam quem ela era, e não ousavam olhar diretamente a ex-psiquiatra por mais de alguns segundos (com algumas exceções), temendo o que o Príncipe Palhaço do Crime poderia fazer com quem o fizesse. Quando o Coringa chamou Arlequina pessoalmente a sua mesa VIP, ele a "ofereceu" para Monster T, um criminoso que rendeu muito dinheiro a gangue do Palhaço e estava encarando Harleen por toda a dança. T sabia que aquilo não acabaria bem, e tentou se desviar de Arlequina o máximo possível, enquanto o Coringa o manipulava durante toda a conversa, terminando com ele morto.[2][3]

"O Coringa tomou alguém importante de mim. Minha vez."
―Batman para Arlequina[fonte]
Batman carregando Arlequina

Batman captura Arlequina.

Após a morte de T, os dois foram ao Coringamóvel onde andaram em alta-velocidade pela cidade. Quando a Arlequina pediu para seu pudinzinho ir mais rápido, o Batmóvel surgiu pela esquina atrás, e o Palhaço fez questão de deixá-lo subir em cima do veículo, onde Arlequina começou a abrir fogo no intuito de acertar o Morcego. Logo, o Coringa lançou o carro na água, mesmo sabendo que Arlequina não podia nadar, e foi embora. Batman acabou resgatando ela, afirmando que ao entregá-la a Belle Reve, seria uma vingança pelo ter matado o Robin, sendo mais humilhante tê-la presa nas mãos do governo do que morta.[2][3]

Salvando o mundoEditar

Arlequina em sua cela

Arlequina em sua própria cela.

Harleen foi realocada em Belle Reve, onde ficaria sob guarda da A.R.G.U.S. enquanto Amanda Waller fazia os preparativos para a Força-Tarefa X, um grupo de criminosos que trabalhariam para o governo em troca de penas reduzidas, e Arlequina estava entre esses criminosos. Durante seu tempo em Belle Reve, ela foi torturada e marginalizada pelo sádico guarda Griggs.[2][3]

Durante uma inspeção em Belle Reve, Arlequina conheceu Amanda Waller, que estava testando as habilidades dos membros da Força-Tarefa X. Eventualmente, Magia, uma bruxa sobrenatural e membro da Força, se rebelou contra Amanda e começou uma confusão em Midway City, junto a seu irmão Incubus. O objetivo deles era construir uma enorme máquina na cidade que destruiria os humanos. O governo dos Estados Unidos então deu permissão para a Força-Tarefa X entrar em ação.[2][3]

Conhecendo o Esquadrão SuicidaEditar

"Oi bofes! Arlequina. E aí tudo bem."
―Arlequina cumprimenta os militares de Flag[fonte]

Harleen foi presa e tomou uma injeção no pescoço, que continha uma micro-bomba. Se ela tentasse algo durante a missão, seria morta imediatamente. Ela também recebeu de Griggs um celular a pedido do Coringa, que estava indo atrás de Harleen. Ela manteve o celular escondido durante a viagem.[2][3]

Arlequina com os militares

Arlequina conhece os outros membros do Esquadrão.

Arlequina então foi levada para conhecer os outros membros da Força-Tarefa, Digger Harkness, o Capitão Bumerangue, Floyd Lawton, o Pistoleiro, Waylon Jones, o Crocodilo, Chato Santana, o El Diablo, Tatsu Yamashiro, a guarda-costas Katana, Christopher Weiss, o Amarra e o líder do Esquadrão, Capitão Rick Flag. Flag e Katana eram os únicos sem a bomba no pescoço por não serem criminosos, Katana era guarda-costas de Flag, que lideraria a equipe em solo. Alguns membros da A.R.G.U.S. também os acompanhariam em Midway City para manter tudo sob controle.[2][3]

Arlequina saindo do helicóptero

Arlequina sai do helicóptero.

Eles se prepararam em uma área da A.R.G.U.S. e entraram em um helicóptero a caminho de Midway City. Durante o caminho, o Coringa contactou Arlequina por celular, avisando que iria resgatá-la. Ao chegar na cidade, o helicóptero foi misteriosamente abatido, apesar de todos os membros da Força-Tarefa X sobreviverem. Flag então lhes mostrou o objetivo, um prédio no centro da cidade que continha uma pessoa que precisavam resgatar.[2][3]

Batalha de Midway CityEditar

Arlequina: "Já vai tarde!"
Pistoleiro: "Arlequina! Se ele morrer, a gente morre!"
―Arlequina após Flag ser pego por um grupo de criaturas[fonte]
Arlequina enfrentando os monstros de Magia

Arlequina enfrentando os monstros de Magia.

Afim de provar a teoria das bombas no pescoço, Capitão Bumerangue manipulou Amarra para tentar fugir, e Flag o matou com a explosão (como o esperado) mostrando que a bomba era real. O Capitão Bumerangue não desistiu de fugir apesar disso, e tentou convencer os outros membros da Força-Tarefa a distrair e matar os guardas. Quando Arlequina foi falar com Pistoleiro, eles se depararam com um grupo de criaturas humanoides misteriosas. O grupo lutou contra elas e foram bem sucedidos. Pistoleiro notou que as criaturas pareciam humanos, e usavam joias e algumas delas, roupas, além das armas. Flag apenas lhes disse que 'eram' humanos, e não mais.[2][3]

Enquanto iam ao caminho do John F. Ostrander Federal Building, onde o HVT1 estava (o objetivo da Força-Tarefa), Arlequina tentou "mexer" com a cabeça de alguém, questionando os membros da Força. Ela tentou irritar Crocodilo e Katana, mas foi impedida por Pistoleiro. Ela então o chamou de "vendido", afirmando que ele estava os traindo ao fazer amizade com Flag (algo que o Pistoleiro começou a tentar fazer).[2][3]

Chegando ao edifício, Arlequina aproveitou a distração do grupo para pegar um elevador sozinha. Dentro dele, ela trocou mensagens com o Coringa e foi atacada pelas criaturas misteriosas, conseguindo matá-los. Quando chegou aos andares acima, a Força já estava a esperando, e continuaram andando. Após derrotar vários grupos de criaturas, o Esquadrão descobriu que o HVT1, o objetivo do grupo, era a própria Amanda Waller. Apesar de discutires, Amanda os ameaçou com os explosivos em seus pescoços.[2][3]

Amor loucoEditar

Se reunindo com o CoringaEditar

No telhado do prédio, um helicóptero apareceu para resgatá-los, mas ele não estava respondendo. Flag logo percebeu que ele havia sido tomado, e era pelo próprio Coringa. O Palhaço conseguiu desativar a bomba em Arlequina e a mandou pular no veículo, o que ela fez apesar do Pistoleiro insistir em não fazê-lo.[2][3]

Dentro do helicóptero, Amanda Waller rapidamente mandou caças para abatê-los, e o Coringa acabou tomando uma decisão de última hora em pular para um telhado próximo. O problema foi uma explosão no último segundo que o impediu de pular junto a Arlequina, deixando-a sozinha enquanto o helicóptero caia em um prédio da cidade.[2][3]

Equipe divididaEditar

Acreditando que seu chefe estava morto, a equipe se reencontrou com Arlequina na rua, após o helicóptero de resgate de Amanda ser abatido por forças da Magia. Ao exigir respostas de Flag, o Pistoleiro acabou causando a separação da equipe com a A.R.G.U.S., indo para um bar próximo mesmo com a ameaça das bombas. Flag havia os contado a verdade―que Magia era quem estava por trás de tudo e controlando seus soldados ex-humanos para construir uma grande máquina de destruição―e implorou pela ajuda da equipe novamente. Ele conseguiu convencer Pistoleiro ao usar sua filha, e todos do Esquadrão se reuniram novamente.[2][3]

Enfrentando MagiaEditar

Enquanto Crocodilo e alguns soldados da A.R.G.U.S. forma pelo subterrâneo do metrô plantar uma poderosa bomba, Flag e o resto da equipe foi na linha de frente. Magia logo os percebeu e hipnotizou Pistoleiro, Flag e Arlequina com seus sonhos mais profundos. El Diablo percebeu o truque naquilo e os fez acordarem, começando então a revelar seu verdadeiro poder na hora de enfrentar Incubus. Durante essa luta, ambos faleceram.[2][3]

Magia tentou oferecê-los uma última chance de se unirem, e Arlequina finge aceitá-la, apenas para trair Magia a distraindo, com Crocodilo jogando a bomba perto dela e Pistoleiro a atingindo. Com Magia enfraquecida, Flag tomou a difícil decisão de destruir seu coração, apenas para perceber que June havia sobrevivido, assim como Waller (que apenas estava presa).[2][3]

Fugindo de Belle ReveEditar

"Vamos pra casa amor."
―O Coringa após libertar a Arlequina[fonte]

Waller deu uma recompensa de menos 10 anos nas penas dos membros do Esquadrão, e um pedido a mais. Arlequina pediu uma máquina de café expresso por exemplo. De volta em Belle Reve, o Coringa, que havia sobrevivido a explosão, reaparece para resgatar sua "bebê", afirmando que eles "voltariam para casa".

CuriosidadesEditar

  • Arlequina é baseada em uma personagem de mesmo nome da DC Comics. Ela é a parceira do Coringa nas histórias em quadrinhos, e tem um profundo amor pelo Palhaço do Crime.
  • Sua primeira aparição real foi em Batman: The Animated Series, porém ela ficou tão popular que ganhou espaço nos quadrinhos da DC.
  • Em Suicide Squad: The Official Movie Novelization, o Coringa e a Arlequina manipulam Monster T para cometer suicídio, e após fazê-lo, o Palhaço se enfurece com Harleen, afirmando que ele tinha lhe dado muito dinheiro e que sua morte era culpa da ex-psiquiatra. Os conflitos entre o Palhaço e Arlequina são mais nítidos na romantização, já que em diversos momentos, o Coringa a trata com raiva (como quando ele a resgata de helicóptero e a culpa pelo esforço que fez).
  • É possível que Arlequina tenha esquizofrenia, já que ela "ouve vozes", apesar de não ser muito claro o que ela quis dizer com isso.
  • Harleen não sabe nadar.

Links externosEditar

Há uma galeria de imagens para Harleen Quinzel. DC Comics 2016 logo

ReferênciasEditar